domingo, maio 01, 2011

Portas, primeiro ministro?

Creio que foi neste blogue que, pela primeira vez, se colocou a hipótese de Paulo Portas vir a ser o próximo primeiro ministro. O próprio acabaria por anunciar formalmente essa ambição no passado dia 29 de abril. Et pour cause!

Como aqui já se escreveu, há uma hipótese, embora remota, de Sócrates e a pandilha de piratas de que faz parte tentarem aliar-se ao PCP e ao Bloco de Esquerda de forma subreptícia, em volta de uma solução alternativa ao pacote de saneamento financeiro que a troika proporá em breve: reestruturar a dívida soberana. É o que designo por Frente Populista. Embora altamente improvável, esta vitória de Pirro não é de todo impossível, e se vier a ocorrer, o mais provável primeiro ministro deste governo condenado ao insucesso seria, não o exausto e descartável Sócrates, mas Ferro Rodrigues.

Portugal é neste momento a borboleta cujo bater de asas pode ditar involuntariamente o futuro do euro, da Alemanha e da Europa. Não nos esqueçamos que está em curso a primeira grande guerra financeira mundial, e que os PIGS são o primeiro e principal campo de batalha desta guerra, enquanto de Cabul a Marraquexe continuam a guerra e os conflitos militares assimétricos pela reconstituição do Império Islâmico (em si mesma favorável aos interesses da China, Japão, Brasil, Turquia, mas também aos interesses geoestratégicos da Europa mediterrânica e do sudoeste atlântico: Grécia, Itália, Espanha e Portugal).

Quero crer, porém, que a solução da troika vencerá o primeiro round do saneamento da dívida soberana portuguesa, apoiado-se nomeadamente nas imensas reservas financeiras da China — que já tornou oficial o seu interesse em manter a Europa estável e o euro como alternativa de recurso ao colapso do dólar americano. Se assim for, a derrota do PS de Sócrates e da tríade de Macau será redonda. Mesmo assim, o PSD e o CDS poderão não conseguir a maioria imprescindível à revisão constitucional objectivamente imposta pela troika como contrapartida do auxílio comunitário. O país precisa, de facto, de uma maioria constitucional para ultrapassar a bancarrota a que Sócrates, a tríade de Macau e o PS conduziram o país. E neste caso, só mesmo um governo de coligação entre o PSD, CDS-PP e PS será garantia suficiente para uma aprovação unânime do resgate comunitário da dívida portuguesa. Passos Coelho jamais aceitaria o regresso de Sócrates. E Sócrates, se se mantiver como consigliere da tríade que capturou o PS, jamais aceitaria ser segundo do actual líder do PSD. Logo, Paulo Portas poderá mesmo aparecer em breve como a única solução prática disponível para resolver um verosímil impasse pós-eleitoral.

Em qualquer caso, penso como Eduardo Catroga: Sócrates e uns tantos mais devem ser julgados pela destruição financeira de Portugal.

4 comentários:

skeptikos disse...

Sócrates e uns tantos mais já deviam ter sido julgados pela destruição financeira do país. Nunca é tarde. Seriam um bom começo e eu até nem me importaria de todos os sacrifícios se alguma vez chegar a ver JUSTIÇA. Aqui fica um link, com outros links que merecem ser do conhecimento público:
http://alt01.despesapublica.com/ajustes-directos/view/?ID=A8E6B4E2963C46E58D79175A145794AC

skeptikos disse...

Btw, O Osama bin Laden (mito) parece que foi morto (outra vez) e logo numa altura tão... errrrr... sensível com a polémica da certidão de nascimento (outra vez) de Obama, para não mencionar a compra massiva de prata; o crude a subir; Israel que se prepara para atacar o Irão; bla, bla, bla,...
enfim, é o marketing de guerrilha em força. Recomendável visita ao zero hedge.

skeptikos disse...

Pelas minhas contas e de mais uns quantos parece que o Obama (oooops!) o Osama bin Laden já morreu pelo menos umas 9 vezes (o homem devia ter DNA de gato): http://www.infowars.com/osama-bin-laden-pronounced-dead%E2%80%A6-for-the-ninth-time/

lollllll

Se a moda pega, ainda vamos ter uns "mitos" parecidos por cá... eheheh é só uma questão de tempo! :D

skeptikos disse...

Para completar o ramalhete de umas boas gargalhadas e sem querer ser impertinente, recomendo a «breve história ilustrada da humanidade» aqui: http://obviousmag.org/archives/2007/04/breve_historia_1.html