quarta-feira, abril 22, 2015

TAP: 14 anos de gestão ruinosa

Fernando Pinto deve explicações ao país

TAP sob investigação criminal?


A greve é para cumprir? Em que termos aceitam desconvocar?
A greve é desconvocada quando o Governo e TAP decidirem honrar os compromissos que assumiram com os pilotos. (Diário Económico, 22-04-2014)

“Matérias alegadas pelos pilotos não têm suporte legal”, diz Fernando Pinto (Negócios, 22-04-2015)

Presidente da SPAC acusa administração da TAP de “gestão ruinosa”. (Diário Económico, 22-04-2014)

“Acontece que as consequências dos actos de gestão ruinosa que subsistem ao longo dos últimos 14 anos tornaram-se intoleráveis.” — Manuel Santos Cardoso, presidente do SPAC. (Diário Económico, 22-04-2014)

Sindicato dos pilotos admite processar TAP por gestão ruinosa

Manuel dos Santos Cardoso, presidente do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) desde novembro, defende que o que tem prejudicado gravemente a TAP “é a gestão ruinosa desta administração, com a conivência e o beneplácito dos sucessivos governos”. DN, 22/04/2015


A Procuradora-Geral da República confirma existirem investigações em curso à TAP, alegando segredo de justiça para não dar mais informações.

A informação foi avançada à Renascença, na sequência da entrevista do presidente do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil ao “Diário Económico”. RR, 22-04-2015.

Em que ficamos? Eu diria que as afirmações do comandante da TAP e presidente do sindicato dos pilotos (SPAC), Manuel Santos Cardoso, não são bluff, e não sendo bluff, as orelhas de Fernando Pinto e do resto da obscura e completamente incompetente administração da TAP devem estar a arder. Vamos a factos:
  1. Vai para quinze anos que esta administração foi contratada para privatizar a TAP. Quinze anos!
  2. O passivo acumulado da empresa flutua nos relatórios ao sabor das conveniências, e é superior aos anunciados 1.062 milhões de euros reportados no Relatório e Contas de 2012. Nós pensamos que poderá chegar perto dos três mil milhões, mas o ministro que tão avidamente substituiu o Álvaro, Pires de Lima, já reconheceu publicamente que não sabe onde foram parar 800 milhões de euros. E os espanhóis da Globalia, que entretanto desistiram da TAP, mencionaram ao El País uma dívida acumulada de 2.400 milhões de euros—dando a entender que parte da mesma estaria a ser negociada por baixo da mesa da reprivatização.
  3. Poderão estar em curso investigações policiais sobre as relações entre a TAP e o BES, com dossiers específicos
    1. sobre a operação da venda da PGA à TAP (2007), durante o governo de José Sócrates e intermediada pelo Millennium BCP, à época gerida pelo camarada do grupo cor-de-rosa de Macau, Carlos Santos Ferreira,
    2. sobre a ex-VEM, um estranho buraco negro brasileiro, comprado à Varig pela TAP e pela GEO Capital, e conhecido hoje como TAP Maintenance & Engineering,
    3. e sobre a encomenda firme de 12 Airbus A350, com opção para mais três e reserva de compra de oito A320, um acto de gestão verdadeiramente suicida atendendo a que já à época (25/11/2007), o grau de endividamento da TAP era excessivo: 1.218 milhões de euros.
Perante estas evidências, os pilotos sabem que a TAP morreu, e que uma nova TAP, com ou sem sócios locais, mas certamente com necessidade de atrair sócios europeus do métier, precisará deles e do pessoal de manutenção no dia seguinte à morte/renascimento da TAP. Na TAP má, entretanto, ficarão a ex-VEM e muitos funcionários da empresa que não terão lugar numa empresa mais magra e preparada para competir com as Low Cost.

É por isto que os pilotos da TAP não abdicam de uma participação de 20% da próxima companhia.

O governo deve pensar bem no que vai fazer. Rejeitar os pilotos não é opção.

Atualização: 23-04-2014 12:09 WET


Se gostou do que leu apoie a continuidade deste blogue com uma pequena doação

2 comentários:

Maria celeste ramos disse...

Mas o senhor que se eu falar português nunca percebe e eu tenho de aprender brasilês quando visitei a terra dele, não tinha desde o primeiro dia que chegou aqui, um plano e programa a cumprir até lixar a TAP embora devagarinho em 16 anos para ser mais verosímil que afinal a TAP nunca foi a MAIS CONCEITUADA do mundo fora da gestão ele, e agora de facto não é mesmo quando afirmou um ano ou outro grandes lucros ?? Vá-se lá entender esta língua de trapos - Devia ser inquirido desde o 1º dia como governou e como comeu, por mês, 26 mil euros pois para ele, pelo menos, nada podia faltar ??0 Começo a ser xenófoba para experimentar o que nunca fui mas jã tenho idade para erperimentar isso

Miguel Cardoso disse...

Se fizerem as contas só às vossas greves selvagens perceberão de onde vem grande parte do passivo. De resto a Tap tem sido administrada como uma verdadeira empresa pública, pior, como todas as empresas públicas e esse é um dos seus grandes problemas. Só não percebo a atitude esquizofrénico e completamente oportunista dos pilotos que tanto são contra a privação como pedem, de forma obscena, 20% dela. Eu por mim entregava a TAP inteira aos sindicatos, mas só após ser retirado o aval do estado para a dívida, passando os novos accionistas e os novos gestores, no caso os pilotos com a maioria do capital, a serem responsabilizados solidariamente pela dívida passada e futura. O estado e o contribuinte assumiam as perdas mas acabava a sangria do dinheiro do contribuinte que ainda no ano passado lá meteu 100 milhões directamente do orçamento de estado e outro tanto via CGD, não evitando mesmo assim que andassem a vender aviões para pagar salários. Ou isso ou liquidava-se a empresa de uma vez que esta história já cheira mal demais. A TAP morreu e os pilotos foram os coveiros!