segunda-feira, setembro 06, 2010

O grande roubo

ESTÃO A BRINCAR COM O FOGO!
Governo espera por estudos para fazer uma nova Lei dos Solos

O Governo vai basear-se em cinco estudos específicos para enquadrar uma eventual nova Lei dos Solos, destinada a travar a especulação imobiliária e a desordem territorial no país. O Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território quer lançar este mês a discussão pública sobre o assunto, mas não tem ainda uma proposta de lei concreta para pôr sobre a mesa. Será, antes, o princípio do debate, envolvendo também workshops técnicos, consultas a especialistas, entidades com interesse na matéria e também ex-governantes. — Público.

Então agora que a construção civil e a especulação imobiliária tocaram no tecto e implodiram é que este governo quer rever a lei dos solos?! Ou muito me engano ou está em preparação um plano de expropriação das zonas periurbanas do país em larga escala, através dum mecanismo de chantagem que é a reclassificação dos solos para construção urbana futura.

Como previ, depois de venderem os anéis, depois do saque fiscal em curso e que vai agravar-se, e antes de roerem os seus próprios dedos, os partidos e a burocracia da degenerada democracia portuguesa preparam-se para tomar de assalto a propriedade privada rural, para daí obter novas fontes de financiamento para os municípios. Pode ser o princípio duma guerra civil!

POST SCRIPTUM — gostava de saber o que é que o senhor Passos de Coelho e a rainha de Boliqueime têm a dizer sobre isto?

5 comentários:

Jose Silva disse...

Caro António,

Pedia que desenvolvesse o tema.

É que eu estou precisamente a pensar em vender um T1 que possuo numa zona urbana para comprar terreno agro-florestal no interior. Interessa-me conhecer as consequências desse cenário.

Antonio Cerveira Pinto disse...

Na III parte do artigo Portugal 1415-2015 terei oportunidade de me referir mais concretamente a este sério problema. Mas adiantando uma resposta à sua pergunta, aqui vai: os prédios urbanos tenderão a perder valor de troca, que não de uso, ao longo da próxima década. Depois, não sei. Mas pode até piorar! As razões são basicamente estas: há centenas de milhar de fogos por vender e os municípios, quase todos falidos, deixaram de ter a sua principal fonte de financiamento: a especulação imobiliária. Assim sendo o IMI vai começar a subir a pique, até que os munícipes se revoltem (como em Moçambique!) Por outro lado, os piratas no poder pretendem criar uma bolsa de terrenos pré-urbanos a preço de saldo. Os proprietários ou vendem ou são expropriados à força pelo preço da uva mijona! Ou seja, comprar terreno florestal, quintas e quintinhas longe dos perímetros urbanos é uma boa aposta, sobretudo se estiverem localizados a menos de 50 Km de centros urbanos, e a menos de 10Km de uma estrada municipal/nacional. A UE vai remunerar os cuidadores da floresta e de tudo o que sequestrar CO2...

Jose Silva disse...

Mais uma negociata na área dos bens e serviços não transaccionáveis germinada a partir de Lisboa... Mas isto fica para reflexões posteriores.
Mais um expediente.

obrigado.

Karocha disse...

Caro António Maria

Andam a brincar com o fogo à muito tempo.
Espere até os alemães se zangarem!
Já não falta muito...

andrecruzzzz disse...

CARO ANTONIO gostaria de lhe pedir que aprofundasse este tema.
cumprimentos