quinta-feira, março 21, 2013

O Sócrates Parte II

Olá! Já tinham saudades, não?

O meu vaticínio: governo PS+CDS em 2014

Já repararam? José Sócrates regressou e tem a sua poderosa máquina a trabalhar, ou não fossem Jorge Coelho e Pedro Silva Pereira duas lagartas imparáveis. Cuidem-se!

Quanto ao zero à esquerda do PS, mais conhecido por Tó Zé, tem o destino traçado: ou aceita ser figura de retórica e decorativa do regresso do PS ao poder, ou terá que ser despachado pela Grande Tríade de Almeida Santos. Democraticamente, claro!

Tudo começou quando o príncipe das trevas mandou o António Costa pisar os calos ao infeliz líder que sucedeu a José Sócrates. A ideia era mesmo tomar de assalto o próximo congresso do PS, mas com a anuência cordata de António José Seguro. Este reagiu indignado (dizem que é bom rapaz, mas não muito brilhante), deixando o cardeal do partido bastante aborrecido e obrigado a avançar com um qualquer Plano B.

Ora o Plano B está em marcha, e a praia lusitana desprotegida!

Um governo perdido entre o monumental caso de corrupção do BPN (um banco pirata criado pelos piratas do PSD), um presidente à beira da demência, e um governo de raparigas e raparigos universitários que nunca plantaram uma couve, ainda por cima chefiado por um troglodita da Jota S Dê (eu apostei no Paulo Rangel, mas perdi...), e que falhou todas as previsões e já não diz coisa com coisa, vai necessariamente cair antes do Natal.

É preciso não esquecer que o Conselho de Estado já virou o polegar para baixo, mesmo sem ir ao quintal de Belém. Idem no que toca às chefias militares. E idem, é bom de ver, da parte dos sindicatos, confederações patronais, burguesia rendeira e banqueiros. Todos, embora aflitos, querem um governo forte dentro e fora do país. Ou seja, capaz de maior agilidade negocial perante os credores e o governo não eleito de Bruxelas, e sobretudo com o pragmatismo suficiente para, se necessário for, tomar medidas drásticas, buscando previamente as necessárias alianças internacionais — financeiras, económicas e... militares.

Está bem de ver que os mimados garotos das juventudes partidárias não estão aptos para estas tarefas. E como o tempo urge, é preciso, desde já, tratar das autárquicas e preparar o governo pós-Gaspar.

Estou convencido de que, nas atuais circunstâncias, o Tribunal Constitucional irá chumbar as cláusulas confiscatórias do Orçamento. E se assim for, não vejo como poderá Passos Coelho manter-se onde está. No mínimo, alguém terá que explicar ao quase demente presidente da república —que não deveria ter sido eleito, mas foi— que o senhor primeiro ministro terá que se demitir, por incapacidade manifesta de governar, por incumprimento escandaloso do programa eleitoral pelo qual foi eleito, e para salvaguarda do regular funcionamento das instituições.

E depois? 

O PSD será naturalmente chamado a formar novo governo. Mas se não conseguir renovar a coligação, então não haverá outro caminho se não novas eleições, mantendo-se o governo em funções a cozer em lume vivo!

Será em tal momento crítico que o pragmatismo outrora demonstrado por Mário Soares baterá de novo à porta da governação lusitana. Paulo Portas e... José Sócrates apresentar-se-ão então ao país como a última oportunidade de enfrentar a besta germânica, começando por renovar alianças atlânticas de longa data.

Não me perguntem se gosto do Sócrates. Têm centenas de textos neste blogue para ler!


POST SCRIPTUM

Para que conste:

1) o Pinóquio não foi acusado, não foi julgado e não foi condenado, a não ser eleitoralmente. Logo é um cidadão como outro qualquer e goza dos plenos direitos que a cidadania lhe confere.

2) a RTP goza de independência editorial (pelo menos no papel), e por conseguinte tem todo o direito de contratar o Pinóquio para roubar audiência aos 'comentadores' Marcelo, Mendes, Leite, Santana, Ângelo e Pacheco, mais ou menos cor-de-laranja, que saltitam pelos canais da nossa indigente média.

3) por fim, aquilo que nós, portugueses, deveríamos exigir é a privatização imediata e a 100% da RTP, em vez de andarmos para aqui com irritações hipócritas.

A vinda do Pinóquio, aliás, significa uma coisa muito simples: que a coligação no governo está morta, que não se vislumbra nada no horizonte em termos de alternativa, e que, portanto, a perspetiva de um regresso do PS, desta vez em coligação com o CDS, está na cara!

E já agora: 

Como toda a gente já deveria saber, o PCP e o Bloco são esqueletos sem qualquer utilidade em matéria de governo do país. E os Indignados, por sua vez, ainda não perceberam que não estão a lutar contra uma ditadura, mas contra uma democracia. Um cenário não contemplado nos manuais do velho Gene Sharp :(

Última atualização: 22 mar 2013, 15:23 WET

7 comentários:

Vivendi disse...

O único político capaz de fazer algo de diferente por este bananal é Rui Rio. Com o resto estamos mesmo entregues à bicharada.

vazelios disse...

Qual a pior bancada: Se os Jotinhas saídos da universidade que nunca plantaram uma couve, ou os gurus todos na casa dos 60-70 que já conhecem o país de trás para a frente e sabem bem onde podem enganar mais os Portugueses.

Um mau trabalho fez este governo. Um pessimo trabalho se faz na assembleia. É só meninos a trocar trocadilhos e acusações.

MAS, confiar nos que sempre nos enganaram e achar que com gente séria e experiente é que vamos lá, não me parece sensato.

No fundo também não sei quem seria capaz de nos tirar disto, mas concordo com o Vivendi, Rui Rio é o melhor que temos.

Mas tem de ser um bastante forte para não ceder às pressões habituais.

Um governo PS-PSD com os mesmos de sempre, em nada nos ajudaria.

E o Socras é apenas um deles, é mais conhecido e temido porque mente na TV como ninguém. E está ligado à terceira bancarrota do país. Mas é igual a todos os outros, apenas mais "carismatico"

Manuel de Castro disse...

Admito que nunca pensei que Sócrates pudesse regressar tão depressa. Este governo esteve tão mal que fez, para muitos portugueses, Sócrates parecer um menino de coro, comparado com a governação que temos.

Acho que, no curto prazo, eleições só nos prejudicam tanto lá fora como cá dentro e que o regresso dos socialistas em força vai protelar sine die aquelas reformas do regime que são reclamadas na petição de indignados-organizados que aqui colocou.

A declaração de inconstitucionalidades que se espera por parte do TC era esperada - pelo menos por mim, no que concerne aos pensionistas - e só a prepotência do governo e a falta de tacto do PR permitiram que em Março de 2013 estivessemos nestas incógnitas.

Manuel de Castro disse...

Subscrevo o comentário de Vivendi.

Anónimo disse...

O clã de socrates volta, afasta o actual lider do ps e mantem a corporação de interesses a mandar nisto tudo, mesmo com a mudança de governo.

é só isso que se pretende.

antonio cerveira pinto disse...

A minha 'aposta' é tão só um vaticínio baseado nos dados do problema que temos no regime. Não gosto do que vejo, mas parece-me que os Jotas vão ser expulsos do sistema, ou domesticados.

lidiasantos almeida sousa disse...

Olá Antonio Cerveira Pinto, é dos bloguer MAIS INTELIGENTES que tenho lido, embora leia poucos, mas indicaram-me o seu blog quando fez um estudo sobre o TGV ou AVE em Espanha e do isolamento em que ficaremos aqui num cantinho sem ligações à Europa. Os canalhas que assinaram as 5 linhas de TGV que deixaram de herança ao Governo seguinte e depois lutaram para o destruir dizendo ser da autoria desse Governo, MUITO MAIS TERIA A DIZER sobre o lobby feito pelo Querido Líder de Belém sobre o Aeroporto da OTA NO SEU TEMPO DE 1º, e depois com o lobby do VAN ZELLER, meu antigo Professor VIEGAS e muitos outros, mudaram para Alcochete, onde o amigo de Infância Teodosio Carapeto andava a comprar milhares de hectares de terreno com o dinheiro da SLN VALOR. Se o Sócrates fosse o Pinoquio o QUERIDO lÍDER SERIA O GEPETO, PORQUE CONCORDAVA COM TUDO, ASSINAVA TUDO E PARA O FIM SÓ DIZIA: INSUSTENTÁVEL, EXPLOSIVO MAS COBARDEMENTE NÃO ACTUAVA.