segunda-feira, novembro 02, 2015

Salazarismo de esquerda, não!

Francisco Assis por Ricardo Castelo/ N Factos - Público

Saúdo a iniciativa de Francisco Assis!


“Alternativa” de Assis é para “o próximo Congresso” do PS. 
Público, Nuno Sá Lourenço 02/11/2015 - 07:35  
O próximo Congresso socialista – anunciado pelo actual líder para depois das presidenciais – vai ser de confrontação. Quem o confirma são os dirigentes socialistas que vão participar no encontro anunciado pelo eurodeputado Francisco Assis, que é visto como o primeiro passo para uma candidatura à liderança no PS.  
João Proença, ex-secretário-geral da UGT e ex-membro da direcção de António José Seguro, confirmou a sua presença no encontro que deverá realizar-se até ao próximo fim-de-semana e explica o objectivo. “É fundamental preparar um alternativa para o próximo Congresso”, disse ao PÚBLICO antes de acrescentar que via o eurodeputado como o “melhor colocado” para desafiar António Costa.

Tal como antecipámos, Assis será o próximo SG do PS, e é bem possível que António Costa abandone o partido que está a tentar perverter levando atrás de si alguns fiéis. Será este o verdadeiro objetivo de Francisco Louçã? Pelo menos, é coerente com o que sempre defendeu na LCI (de que aliás fui líder, em 1975...), no PSR, e no seu renovado período de clandestinidade—desde que ajudou a criar o saco de gatos chamado Bloco de Esquerda.

Este é mais um sinal para o PR manter o governo recém-nomeado. O Salazarismo de Esquerda para que o derrotado Costa, e a gritaria que vai dentro do PCP e do Bloco estão a tentar levar o país, que assuma a responsabilidade de reconduzir o país a um novo resgate—bloqueando, como promete, a ação do governo empossado.

Aliás, o cerco da Assembleia da República no dia da votação da(s) moção(ões) de censura, já anunciado pela CGTP sob o lema “Mudança da maioria, implica mudança de política!” (ler comunicado da central sindical do PCP), certamente para exigir também a célebre Unicidade Sindical, está aí para o provar.

O Bloco, por sua vez, nunca esteve tão ansioso por andar à garupa de um partido 'socialista-liberal' (a designação é um update da autoria dos trotskistas franceses, de que o Bloco de Esquerda é uma filial dissimulada).

Se não houver gente com juízo no PS, António Costa e a sua Fronda desesperada lançarão um anátema sobre toda a esquerda liberal e democrática, a qual poderá durar décadas a sarar.

Se nem o país continental que é a Rússia, mesmo criando um império (a URSS e os países da Internacional Comunista), conseguiu levar a cabo a teoria peregrina do 'socialismo num só país' (de que Karl Marx nunca ouviu falar e que certamente destruiria num ápice), que destino teria um Portugal, já sem império colonial, fora do euro, fora da União Europeia, fora da NATO, em suma, levitando no éter podre dos vários revisionismo oportunistas do marxismo, conduzido pelo imprestável Costa, pela ávida Catarina e pelos quadrados estalinistas do PCP?

Não creio que venhamos a precisar de conhecer esta Caixa de Pandora.


ÚLTIMA HORA

Assis convoca opositores de Costa para encontro no sábado 
Público, Margarida Gomes 02/11/2015 - 23:09 
Eurodeputado considera “impensável” e “erro histórico” acordo com PCP e BE, mas diz que não vai apelar aos deputados para desrespeitarem a disciplina de voto. 
“Metade do eleitorado socialista está assustado com a deriva que o partido está a seguir e isto que nós estamos a fazer comparado com o que os apoiantes do actual secretário-geral fizeram à anterior direcção não é nada”, afirma fonte socialista, agitando com o risco de o PS guinar completamente à esquerda. “O partido corre o risco da ‘pasokização’ e ‘syrização’. Há aqui uma deriva à esquerda e isso é muito perigoso”, adverte a mesma fonte, considerando que o partido “deve ter uma reserva, evitando pôr as fichas todas em António Costa” numa próxima disputa da liderança.

Atualização: 2-11-2015 23:19

4 comentários:

Unknown disse...

São Francisco de Assis sempre pugnou por ser um santo homem, um dia canonizado em Santo, que em determinada altura da sua vida escolheu de livre a vontade a pobreza.

Estamos pois perante um santo homem.

A

Rui

MFS disse...

Francisco Louçã "foi" líder (LCI) em vez de fui.

antonio cerveira pinto disse...

É mesmo 'fui'. Eu é que fui líder da LCI, apeado por Louçã depois do 25N.

taawaciclos disse...

Como é evidente há que manter as tradições e as heranças e desvirtuar o salazarismo de direita com estas invenções patéticas de pseudo-partidos de esquerda, não está com nada!