sábado, fevereiro 12, 2011

Mudar de democracia

Ouvi o Manuel Maria Carrilho na TVI. 

Li e ouvi o Henrique Neto, no Expresso e no "Plano Inclinado" da SIC — observando pela décima vez gráficos eloquentes do Henrique Medina Carreira. 

Vi ainda, com a irritação e nojo habituais, o Mubarak das Beiras arengar triunfalmente sobre as glórias do seu governo zombie em mais um combate ganho contra os moinhos da esquerda e da direita que por breves momentos ameaçaram a sua corrupta ditadura democrática. 

Concluo: é preciso refundar este regime, começando por refundar o sistema partidário. E para isto talvez seja inevitável organizar uma manifestação de sapatos junto à Assembleia da República, para denunciar aquela corporação de araras inúteis, e exigir outra democracia.

2 comentários:

Carlos Alberto disse...

Já esteve mais longe!

O Eleitorado Morre Mas Não Se Rende disse...

Uma democracia à zé do telhado?

Essa já existe em embrião.

E corporações há muitas, estranhamente o estado é mais corporativo agora do que quando tinha o nome.

E desmantelar o estado e os previlégios não é democrático nem dá votos

há que manter o status quo

Nas reacções devia ter um
Fantasioso?

hipotético?

Alarvidade?

ouvi li vi....faltou o pensei

as emoções estão lá descritas

toldam a razão