quarta-feira, agosto 25, 2021

O fim da TAP está próximo


O presidente da companhia aérea Ryanair acusou esta terça-feira a TAP de bloquear slots no aeroporto de Lisboa, impedindo o crescimento de outras companhias aéreas, e anunciou o lançamento de 26 novas rotas desde Portugal para o inverno.


A propósito da moribunda TAP, uma afirmação lúcida do Cmdt. Pereira Coutinho:

“Não há empresas estratégicas em Portugal, há sectores estratégicos, como é o caso do sector aéreo, que deve assegurar a acessibilidade aérea competitiva a Portugal, tanto no transporte de passageiros, como na carga aérea.”

Ou seja, não importa quem transporta pessoas e cargas, mas sim que o país seja uma boa plataforma de transporte. Sendo a aviação um dos setores industriais e comerciais mais competitivos e com maior intensidade de capital intensivo do planeta, atravessando há mais de vinte anos, por um lado, um processo de concentração em grandes grupos (Lufthansa Group, Ryanair, IAG, Air France – KLM Group, easyJet, Turkish Airlines Group, Aeroflot Group; onde fica a TAP neste processo?), e por outro, claras mudanças de paradigma (Low Cost), extraordinário seria que a TAP pudesse escapar ao novo condicionalismo. Deveria ter agido a tempo, quer na manutenção das suas ligações estratégicas às Américas e a África, quer na criação de uma TAP Europa, com ligações ponto-a-ponto e lógicas de produtividade em linha com as companhias Low Cost.

Os piratas da tríade de Macau, e a turma de piratas do BES, deram cabo da TAP. António Costa lança, entretanto, a despesa do assalto e da ideologia, no orçamento da dívida portuguesa.

O buraco negro da TAP é superior a QUATRO MIL MILHÕES DE EUROS (4 Pontes Vasco da Gama!). A tesouraria deverá estar a zeros depois dos pagamentos deste verão ao pessoal. Haverá, depois deste crime partidário, quem queira herdar a TAP? O gajo da Ryanair diz que nem dada! Uma empresa que dá prejuízo há 28 anos consecutivos, e na qual os contribuintes metem dinheiro de cinco em cinco anos, não é uma empresa, é um centro de custos que beneficia muitos poucos e que a inculta e distraída manada paga e não bufa.

PS: o falido Expresso, que certamente não recebe publicidade da Ryanair, mas sim da TAP, lá teve que voltar a insinuar que a Ryanair recebe apoios do Estado português. Uma fake news mais do que esclarecida.


ÚLTIMA HORA!

O futuro da TAP é mais ou menos este: encolher a sua frota para 60 a 80 aviões, e reduzir o número de slots na Portela entre 15 e 57% dos que agora ainda mantém, pois não estamos a ver a DGCOM a adotar para o encerramento (desordenado!) da TAP um programa menos duro do que aquele que levará ao fecho ordenado da Alitalia em 14 de outubro próximo.


It’s official: Alitalia is shutting down. While the end of the airline has been clear for months now, the carrier has officially announced that it will stop flying from 14th October. All flights beyond this date are cancelled, and passengers may request a refund or travel before the 14th. From the 15th of October, ITA will become the new Italian flag carrier, kicking off a new era for Italian aviation.

...

The carrier isn’t running low on funds either. After protracted negotiations with the EU Competition Commission, ITA has secured €700 million ($822.5mn) in funding in late July and will receive more until 2025. However, this has come at a cost. ITA will not inherit all of Alitalia’s slots at Rome and Milan, according to Reuters. The new airline will only receive 43% of the former carrier’s slots at Fiumicino and 85% at Linate Airport.

Sem comentários: